a a a

29.7.07

carta do sol (20/06/07)

Se esperar, há primavera. Depois, se há. Se queira, se beira, frio que passa, passa o mate, passa o pão. Passa pela calçada, um sinal. A carta do sol, ao piso, ao olho, ao pé, bem-vinda. Conveniente para o inverno, encontrar pelo caminho: seria um aviso? Arica? Atacama? El paso a passar? Passa um dia, se o frio passa, a cordilheira passa, de uma porta à outra. País a outro. Um par de anjos na carta, louros de cachos românticos. Um rabo a mais, “Le Soleil”. Intriga, fascina, espanta. Boa hora para um sol, raios calientes, vitamina “D”. De tanta cenoura poderia alaranjar, mas há de haver um sol. E o sol há.

soleil
konidomo


[dentro]


Esquentar água. Para banho. Para beber. ‘Latin American idol’, para entreter. Dentro, nós. Portugues que se fala. Tremelique no chão, temblores, tremores, terremotinhos. Pipoca, kiwi, aveia, chocolate, macarrão, jurel, soja, pipoca, pão, pipoca, mate, chocolate, mate, pipoca. Pastas, releases, correspondências. Notícias, jornais. Notícias, virtuais. Belíssima dublada, “esse que fala”, turco no Brasil falando português dublado de espanhol. Cheiro de carpete, faxina um vez no mês. Um metro de cozinha. Uma tábua para a vizinha. Ouvir respirar. Cronograma, a cumprir. Programação na TV a seguir. Pela tela. Não há janelas, há “Eva Luna” e “El Mar Viviente”. E outras portas.

1m de cozinha
konidomo


[fora]

Barro pela estrada. Sem saída. Torre dos bombeiros. Fora, nós. Estrangeiros. Espanhol que fala. ‘Cone helado, ya’. Santa Isabel, santos maiz para cabritas. Palomitas. POCHOCLOS. Molha os cabelos, umidade; congela as mãos, vento, tempo, saudade. Saudade e telefone impossibilitado de efetuar chamadas internacionais. Vontade de voltar para dentro. Corpo tremendo. Temblores. Fora, um mar de larvas iluminado: as casas sobre os morros, cerros, derrete a luz, perante o mar. Derrama, chama... Iemanjá? A gente vê da costeira, de longe: Viña. De longe, vida. Visita de fim de semana. Os dedos param, não se sente. Os pés somem pela dormência de estar. Contidos. Dormidos. Frio. Fora, frio; dentro frio menor. Voltar para dentro. E, contudo, continuar de fora.



fora de tempo
konidomo

valdisnei
konidomo

1 dia de sol
konidomo

1 invitación
konidomo

impossível
konidomo

Reñaca à venda
konidomo


konidomo

bem vindo à Reñaca
konidomo

levitar
konidomo

mesmo mar
konidomo

Un techo para chile
konidomo

bem Reñaca
konidomo
a

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home