a a a

16.7.07

Paso libertadores (08/06/07)

No alto: descer. Passamos a fronteira lentamente. Lentamente se desce. Abismos. Curvas. Dizem exatas curvas, uma estúpida conta: há muito além em que se atentar. O Chile, em verdade, descortina-se finalmente.

Ainda não temos destino certo. Estamos errantes. É uma sensação assustadora, mas no fundo, boa. De liberdade. A vida assim, sem condução, sem direção, literalmente. Apenas sorrimos. O medo não é uma sensação intrigante?

luego del Paso
konidomo


[palmas para o Biu]

Assim como bravas gentes, bravos os carros. Bravo o fusca, que venceu o mais emblemático desafio: a Cordilheira. Homenagem ao companheiro que, mais que o meio ganhou nota de ser; de inanimado a super animado, vivo. Viva, assim, Biu Fiteiro, aos olhos duvidosos do lugar comum.

bravokonidomo
a

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home