a a a

26.12.06

under the bridge ( 18 /12 / 06)

Embaixo da ponte. Perto da Ufal.
A gente foi na Universidade, respirar ar estudantil...
E como os estudantes, sentimos necessidade de respirar outros ares (perto da Ufal há o ‘Cadeião’, uma espécie de presídio provisório, pelo que nos informaram e há , como é mais comum a outras universidades um barzinho simples).ntão, fomos ao Under the bridge, um bar sob um viaduto, bem freqüentado pela comunidade acadêmica e vizinha . Conhecemos muitos do lugar: amigos de nossa acolhedora, pessoas que ali apareceram e o proprietário (Seu Eloy).

A noite começou pela tarde e terminou pela manhã... Muitos queridos, como de costume. Ficamos com a impressão de que não é preciso fazer esforço para conhecer pessoas incríveis. O universo encarrega-se disso... Só nos resta agradecer...
[a caminho da tarde inesperada e noite encantada, do rádio do Fusca, escutamos incisivo mais um som alucinado do conterrâneo Belchior]
Alucinação
Belchior
Composição: Belchior

Eu não estou interessado em nenhuma teoria,
Em nenhuma fantasia, nem no algo mais
Nem em tinta pro meu rosto ou oba oba, ou melodia
Para acompanhar bocejos, sonhos matinais
Eu não estou interessado em nenhuma teoria,
Nem nessas coisas do oriente, romances astrais
A minha alucinação é suportar o dia-a-dia,
E meu delírio é a experiência com coisas reais
Um preto, um pobre, um estudante, uma mulher sozinha
Blue jeans e motocicletas, pessoas cinzas normais
Garotas dentro da noite, revólver: cheira cachorro
Os humilhados do parque com os seus jornais
Carneiros, mesa, trabalho, meu corpo que cai do oitavo andar
E a solidão das pessoas dessas capitais
A violência da noite, o movimento do tráfego
Um rapaz delicado e alegre que canta e requebra, é demais
Cravos, espinhas no rosto, Rock, Hot Dog, "play it cool, Baby
"Doze Jovens Coloridos, dois Policiais
Cumprindo o seu (maldito)duro dever e defendendo o seu amor e nossa vida
Cumprindo o seu (maldito)duro dever e defendendo o seu amor e nossa vida
Mas eu não estou interessado em nenhuma teoria, em nenhuma fantasia, nem no algo mais
Longe o profeta do terror que a laranja mecânica anuncia
Amar e mudar as coisas me interessa mais
Amar e mudar as coisas, amar e mudar as coisas me interessa mais
Um preto, um pobre, um estudante, uma mulher sozinha
Blue jeans e motocicletas, pessoas cinzas normais
Garotas dentro da noite, revólver: cheira cachorro
Os humilhados do parque com os seus jornais
Carneiros, mesa, trabalho, meu corpo que cai do oitavo andar
E a solidão das pessoas dessas capitais
A violência da noite, o movimento do tráfego
Um rapaz delicado e alegre que canta e requebra, é demais
Cravos, espinhas no rosto, Rock, Hot Dog, "play it cool, Baby"
Doze Jovens Coloridos, dois Policiais
Cumprindo o seu (maldito)duro dever e defendendo o seu amor e nossa vida
Cumprindo o seu (maldito)duro dever e defendendo o seu amor e nossa vida
Mas eu não estou interessado em nenhuma teoria,
Em nenhuma fantasia, nem no algo mais
Longe o profeta do terror que a laranja mecânica anuncia
Amar e mudar as coisas me interessa mais
Amar e mudar as coisas, amar e mudar as coisas me interessa mais
a

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home