a a a

10.1.08

moléculas tropicais (07/01/08)

“(...) dias de janeiro, calor demais, dias de janeiro, olha como faz, esquenta, é tão bom estar no mar (...)” (*).

Argentina, 40˚. Assunto dos telejornais. Conversa de elevador. Desculpa para bar. Sonho de piscina. Aqui, na cidade, é permitido banhar-se nas fontes das praças. Não há brisa marinha. Não há mar. Por mais que nos valha a compleição - somos feitos de moléculas tropicais – também sentimos. E desligamos o calefon. Quem precisa de água quente? Mas cai a temperatura de repente, embora não baixe de 20˚. Todos se vão a Carlos Paz, a 57 km da capital cordobesa. Todos se vão a Mar del Plata. Ou para o Brasil. Porque os cordobeses amam o Brasil, sobretudo através da Bahia, do Rio, de Santa Catarina, pelo lugar mais argentino no Brasil, Balneário Camburiú. Muitos sabem onde fica ou ouviram falar de Fortaleza, Recife, Maceió. É verão. É inacreditável.

diciembre
konidomo

37C ST 42C
konidomo

(*) Otto, “Dias de Janeiro”, álbum “Condom Black”.
a

2 Comments:

Blogger Bia said...

Saudades!

Verão em SP não tem passado dos 23 graus. Tempinho bem esquisito por essas bandas.

12:43 PM  
Anonymous Anônimo said...

feliz ano novo !
ainda estão na argentina?

:*
espero que esteja tudo indo bem.


saudades.
bisou

julieet

6:11 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home